AVALIAÇÃO DAS TÉCNICAS SOROLÓGICAS DE AGLUTINAÇÃO MACROSCÓPICA E MICROSCÓPICA UTILIZADAS NO DIAGNÓSTICO DE LEPTOSPIROSE HUMANA.

 

1MARQUES, J.P.(*); 1VIEIRA, R.F.S.; 1CHAVES, M.H.P.; 1DA SILVA, J.O.

 

A leptospirose é uma zoonose causada por espécies patogênicas de Leptospira, que acomete os animais e o homem (BRANDÃO et al., 1998; FUNASA, 2002). A distribuição geográfica é cosmopolita, no entanto sua ocorrência é favorecida pela alta temperatura e pelos períodos do ano com altos índices pluviométricos. Os roedores são os principais reservatórios da doença, pois albergam a Leptospira nos rins, eliminando-as vivas no meio ambiente e contaminando água, solo e alimentos (FUNASA, 2002).  O método de referência para diagnóstico sorológico de leptospirose é a técnica de aglutinação microscópica (LEVETT, 2001). Devido à sua complexidade, o Laboratório Central do Amapá (LACEN) utiliza um teste de triagem desenvolvido pela FIOCRUZ (BioManguinhos-RJ) para a pesquisa de anticorpos contra Leptospira, denominado de teste de aglutinação macroscópica em lâmina (SAT). BRANDÃO et al (1998) citou em seu trabalho que o SAT parece ser um teste conveniente para o diagnóstico inicial de leptospirose, pois 65% dos casos da doença foram detectados com a amostra de admissão e 94% com a segunda amostra de soro coletado após 17 dias de sintomas. Com base nesses dados, o LACEN Amapá, realizou um estudo comparativo entre essas duas técnicas sorológicas, no período de janeiro a julho de 2001, perfazendo um total de 60 amostras. Os pacientes que apresentaram reação positiva, na técnica de SAT, foram submetidos a uma nova coleta de sangue, 15 dias após o início dos sintomas. Os soros (1a e 2a amostra) foram encaminhados ao Instituto Evandro Chagas (Belém-PA) para a confirmação dos resultados através da técnica de MAT. Os resultados mostraram que das 60 amostras que apresentaram aglutinação positiva na técnica de SAT, 41,7% não foram reativas pela técnica de MAT. Pela técnica macroscópica de SAT, as aglutininas anti-leptospira, existentes no soro em teste, ao serem colocadas frente à suspensão antigênica, aglutinam formando grumos visíveis a olho nu (macroaglutinação). Na técnica de MAT, o soro do paciente reage com uma suspensão antigênica de sorovares de Leptospira, e após incubação essa mistura é analisada microscopicamente, para verificar a presença ou não de aglutinações, cujos títulos são determinados. A realização de técnicas de diagnóstico rápidas e simples torna-se necessária para o início do tratamento com antibióticos, ainda na fase aguda da doença. Porém, a execução desses ensaios devem ser feitas cautelosamente, para evitar resultados falso-positivos e também não devem ser descartadas reações cruzadas com outras patologias. Concluimos, portanto, que existe a necessidade de realização de mais estudos para avaliar as diferentes técnicas sorológicas para leptospirose, principalmente as de aglutinação.   

 

1- Laboratório Central de Saúde Pública do Amapá. Av. Ernestino Borges, S/N, Bairro Central, CEP 68.900-000, Macapá, Amapá. E-mail: ju.pantoja@zipmail.com.br.